ambiente de trabalho saudavel

Ambiente de trabalho saudável: como promovê-lo?

Um ambiente de trabalho saudável garante produtividade, colaboração e bem estar entre seus funcionários. Estamos vivendo um momento em que há uma enxurrada de ofertas em produtos e serviços de todos os tipos. Para que uma organização se diferencie, terá que reter talentos que possam alcançar alta performance.

Assim, é preciso construir um ambiente de trabalho saudável da mesma forma que também é fundamental ter valores éticos para lidar com clientes e funcionários. Isso constrói um bom clima. Além disso, é exatamente essa postura que irá fidelizá-los.

Construir confiança é o caminho

Ambientes que não primam pela harmonia nas relações de trabalhos estão propícios a desenvolver stress, competitividade, fofocas e mal estar em geral. Parece que estas equipes trabalham em permanente estado de defensividade. Precisam garantir seu espaço, pela razão que não sentem-se seguros dele. Assim, a saída encontrada muitas vezes é colocar-se contra os colegas, em uma postura que demonstra necessidade de sobrevivência. .

Da mesma forma, pode-se remeter a sobrevivência na selva, onde primeiro de tudo é preciso proteger a própria vida. E se os esforços estão voltados para garantir seu espaço, uma entrega final e um atendimento qualificado passam para segundo plano. Todos os instintos estão apontados para a proteção.

Certamente, um atendimento que demonstre empatia e humanização é a base para fidelizar clientes internos e externos. Assim, ter inteligência emocional para enfrentar os diferentes contextos é fundamental para garantir um atendimento humanizado. Acima de tudo, investir em estimular um clima amistoso e colaborativo entre equipes irá facilitar que resultados positivos sejam alcançados com maior facilidade.

Enquanto lidar com pessoas é sempre um desafio, são necessárias atitudes assertivas e estímulo a colaboração e a inteligência emocional. Porque estimular as relações de confiança, percebendo os pontos de competição e minimizando os conflitos é o único caminho para um ambiente de trabalho saudável.

Quando criamos ambientes onde há a valorização e não existe o medo de não ser reconhecido, não há motivo para competir. A competição nasce do medo de que meu potencial e minhas ideias não sejam vistas ou roubadas e, por isso, eu precisarei diminuir e invalidar as ideias dos meus colegas. Isso é muito prejudicial e inviabiliza a inovação e criatividades em uma instituição.

Para inovar, é preciso um ambiente de trabalho saudável

Novas ideias surgem da troca de informações e cruzamento de pontos de vista. O líder que entende isso estimula a troca de ideias saudáveis entre as diversas equipes, desencorajando o egocentrismo e o sentimento de superioridade. Esses comportamentos inibem a manifestação de novas sugestões, projetos e soluções. Então ainda mais importante é incentivar a interação e o diálogo significativo, pela razão que isso amplia o fluxo da comunicação.

Do mesmo modo, impulsionar a participação da equipe em decisões que os afetem é muito motivador e gera um clima de reconhecimento, essencial para um ambiente de trabalho saudável. Saber que suas ideias estão sendo ouvidas e colocadas em prática gera sentimento de pertencimento e engajamento.

Além disso, muitas vezes as contribuições dadas são totalmente viáveis de serem incorporadas. É só uma questão de abrir o canal de comunicação com a equipe e cuidar para que haja valorização. Infelizmente ainda é comum ver colaboradores dando boas ideias e estas sendo implementadas, mas sem dar o devido crédito. Isto gera muito desconforto e interfere diretamente no clima.

Fatores que prejudicam um ambiente de trabalho saudável

A falta de comunicação clara causa insegurança e medo, abrindo espaço para a rádio corredor, para a fofoca e para o clima de sobrevivência. Certamente esse é um dos principais erros que gestores cometem e que arruínam um ambiente de trabalho saudável.

Saber comunicar claramente o que se espera da equipe e traduzir as competências esperadas de cada colaborador é imprescindível. O líder que não sabe comunicar-se terá graves problemas de desempenho. Além disso, não vai poder reclamar nem colocar a culpa em seus subordinados por isso.

Não saber dar feedback também é um erro comum, que também causa insegurança na equipe. Sem saber se seu trabalho está de acordo com o que se espera, o funcionário ficará ainda mais incerto de suas atitudes. O que irá prejudicar sua produtividade e também interação com colegas.

É preciso avaliar com objetivo de fazer com que o outro cresça, orientando, acompanhando e dando condições para que o que foi acordado seja realizado. Isso é obrigação de todo o líder e deve ser incluído na rotina das equipes.

Não ter inteligência emocional e tratar funcionários com desprezo e sem empatia é outro erro que infelizmente ainda é cometido por diversos gestores. Essas atitudes criam climas que costumo chamar de insalubres emocionalmente.

Para gerir e conduzir pessoas, é preciso saber colocar-se no lugar do outro, valorizar o que o funcionário pensa e sente. Não colocar-se em uma postura de superioridade, que além de afastar ainda cria resistências e gera desconforto.

Feedback ao longo do processo

Mas lembre-se: feedback deve ser dado ao longo do processo, e não somente no resultado final. De nada irá adiantar tecer considerações ao final de um desempenho, e sim acompanhar e dar retorno ao longo do processo, e sempre buscando valorizar competências que já sejam bem desenvolvidas no funcionário, para que ele perceba o seu potencial de melhoramento.

Um gestor com inteligência emocional é capaz de buscar conhecer quais as próprias competências emocionais precisa desenvolver para, assim, ser um líder mais efetivo no desenvolvimento de competências emocionais de sua equipe. Ou seja, para ser um bom líder é necessário superar o egocentrismo e investir no autoconhecimento necessário para ampliar suas habilidades de liderança.

Dicas para tornar o ambiente de trabalho saudável e agradável

1. Aja com transparência

Primeiro de tudo: seja ético e aja com transparência.

Você precisa desenvolver um ambientes de confiança, onde os funcionários sintam-se seguros o suficiente para estabelecer relações saudáveis e desenvolver seu trabalho.

Porque assim eles estarão certos que serão respeitados em sua individualidade e que suas habilidades serão valorizadas e levadas em conta na hora da tomada de decisão. Onde há confiança, o respeito e harmonia se desenvolvem mais facilmente. O funcionário sente que o líder o trata com profissionalismo, dando espaço para que ele cresça.

O líder precisa saber desenvolver a empatia necessária para colocar-se no lugar de seu funcionário e entender os diferentes perfis com os quais terá que lidar. Essa habilidade irá lhe auxiliar a desenvolver a escuta ativa, que é a verdadeira escuta. Porque mais importante do que um discurso inflado, é a habilidade do líder em escutar sua equipe.

Como resultado poderá entender o que acontece no andamento do trabalho. E além disso, conduzir de maneira assertiva, corrigindo o que for necessário e valorizando atitudes corretas.

2. Tenha Congruência

Gestores são modelos de inspiração, o pai da equipe, o espelho que irá refletir todas as demais posturas. Então, precisa ter consciência de que seu comportamento e suas falas são constantemente observadas. Se não transmite congruência, automaticamente desfaz a confiança da equipe no que exige através de seu discurso.

3. Estimule os propósitos individuais

Motivação passa diretamente por situações que estejam alinhadas aos valores de seus funcionários. Aquilo que mais os inspire e desafie a serem melhores em suas habilidades e a colocar seus valores em prática.

Uma das formas mais efetivas de construir um ambiente de trabalho saudável é reconhecendo potenciais e capacidades e estimular a superá-los. Isso irá fortalecer a autoestima de cada um e certamente trará engajamento e comprometimento. Mas isto deve ser oferecido de maneira igual. Ninguém deve ser deixado de fora, para que não haja competição nem resistências entre a equipe. 

Reconhecimento é sempre a melhor forma de gerar o engajamento, pois o líder é um estimulador da autoestima de seus liderados. O ideal é desafiar as competências dos colaboradores com metas que sejam comum a todos e envolvam um propósito em comum. Isso estimula a contribuição de todos e reforça a motivação. E o melhor: é de graça!

4. Promova a colaboração

Estimular o coleguismo e a colaboração propiciando ambientes de troca e construção de novas ideias garante o entrosamento da equipe. Pela razão que construir algo juntos fortalece os laços de confiança e cooperação.

5. Encare os erros como aprendizado

Acima de tudo, aprenda a não estimular o foco nos erros alheios. Porque quando o líder evidencia os erros e toma a crítica como um hábito, isso influencia diretamente na postura da equipe. Não criar a cultura do destaque aos erros auxilia muito a promover o coleguismo. Incentivar o feedback individual, com assertividade e respeito, evitando desentendimentos e desavenças oriundas de fofocas também é um ótimo caminho.

Lembre-se que nesta situação, o papel conciliador do gestor é o que irá garantir a boa convivência e o bom clima de trabalho, que irá impactar diretamente na produtividade. Ele precisa estar atento o tempo todo a estas questões, posicionando-se de maneira conciliadora.

6. Preocupe-se com o ambiente

Um ambiente confortável e ergonômico é muito importante no bem estar dos funcionários. Mas, lembre-se que é fundamental que esteja aliado a uma cultura e climas agradáveis. Somente um bom ambiente, bem decorado e bem disposto, não garante o bem estar de ninguém.

7. Lembre-se do feedback

Certamente, não saber dar feedback também é um erro comum, que também causa insegurança na equipe. Sem saber se seu trabalho está de acordo com o que se espera, o funcionário ficará ainda mais incerto de suas atitudes. Como resultado, isso irá prejudicar sua produtividade e também interação com colegas.

Acima de tudo, é preciso comunicar claramente e dar um retorno do trabalho periodicamente, orientando e acompanhando. Porque dar condições para que o que foi acordado seja realizado é obrigação de todo o líder e deve ser incluído na rotina das equipes. 

Mas, lembre-se: feedback deve ser dado ao longo do processo, e não somente no resultado final. De nada irá adiantar tecer considerações ao final de um desempenho, e sim, acompanhar e dar retorno ao longo do processo. Sempre buscando valorizar competências que já sejam bem desenvolvidas no funcionário, para que ele perceba o seu potencial de melhoramento.

8. Descontraia!

Um clima amistoso, que prima pela colaboração, por si só já irá garantir a descontração. Coloque o foco no bem estar e bom atendimento seja colocado em primeiro lugar.

Quer levar uma palestra relacionada a um ambiente de trabalho saudável para a sua empresa ou conhecer mais sobre meu trabalho? Acesse aqui e vamos conversar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *